Notícias

Disciplina amplia olhar de alunos de Enfermagem sobre comunidades



Neste semestre, alunos do 5º período do curso de Enfermagem se dedicam, entre outras disciplinas, aos estudos propostos pela disciplina de “Oficinas Temáticas”. Nela, os universitários desenvolvem trabalhos voltados para ampliar o debate sobre temas que não são comumente discutidos no universo do Ensino Superior. Os trabalhos escritos e as apresentações orais sobre esses temas integram parte da nota semestral dos alunos na disciplina. 

“Essa disciplina busca atender as novas diretrizes curriculares do Ministério da Educação. Neste semestre fomos trazemos assuntos que nos ajudam a trazer aos alunos uma nova visão de diferentes comunidades, que nem sempre são vistas ou ouvidas em questões abordadas em sala de aula”, explica a professora Regina Coeli. Os primeiros assuntos abordados envolveram as populações ribeirinhas, indígenas e quilombolas. Atualmente os estudantes estão desenvolvendo trabalhos sobre cultura africana, comunidade LGBT, autismo, entre outros.

O calendário de apresentações do trabalho é amplo e conta com a presença de convidados especialistas nos temas que trazem explicações e auxiliam na avaliação dos trabalhos. Nesta quarta-feira (24), o tema apresentado foi “Ensino da história e cultura afro brasileira e africana: Uma realidade em Salvador e em Belém”. Arte, vestimentas e religião foram os temas abordados durante a apresentação que foi acompanhada pelos babalorixás Carlos Alberto de Oliveira Bottas (Pai Carlinhos) e Vanderlan Gonçalves do Amaral (Pai Vando), ambos representantes do Candomblé. 

Carlos Alberto, que também é enfermeiro, avalia a iniciativa como necessárias as discussões promovidas pela disciplina. “Nunca tinha participando de uma apresentação sobre esse tema com uma turma de Enfermagem. A discussão desses temas dentro das universidades é muito importante para a carreira desses futuros profissionais”, diz o babalorixá.

Repassar para os alunos um conhecimento mais aprofundado e reflexivo sobre esses assuntos é um dos principais objetos da disciplina. Assim os estudantes podem conhecer mais de perto a história de diferentes comunidades, estando mais preparados para uma atuação eficaz quando estiverem no mercado de trabalho. 

Texto e foto: Brenda Menezes com supervisão de Lali Mareco
25 de abril de 2019