Notícias

Curso de Enfermagem promove XXVII mostra de trabalhos acadêmicos



Coordenador do curso, Jadson Bandeira (ao centro) fala durante a abertura do evento.

“Atenção Primária em saúde: O desafio para enfermagem com equidade”, esse foi o tema da XXVII mostra do curso de Enfermagem realizada nesta quarta-feira (15), na Unidade José Malcher. No evento, os estudantes discutiram sobre a importância da atenção primária como base do Sistema Único de Saúde e refletiram sobre os avanços da atuação e da prática profissional da Enfermagem.

A mostra é realizada desde o início do curso e se tornou o impulso para a criação da Jornada de Enfermagem do Cesupa. “Quando nós planejamos eventos, pensamos nos nossos alunos e em como eles poderão ser beneficiados com isso. A reflexão sobre o nosso processo de saúde é muito importante, especialmente pensando na atenção básica que é a nossa porta de entrada e é a base do cuidado”, observou o coordenador do curso de Enfermagem, Jadson Bandeira.

Vista como a porta de entrada ao sistema de saúde, a atenção primária tem como foco a orientação e prevenção de doenças. Esse tipo de atendimento auxilia no funcionamento dos serviços disponíveis na rede pública de saúde, colaborando para um cenário de boas práticas. Nessa perspectiva, os alunos do 1º período do curso idealizaram uma atividade artística cultural com foco na problematização da saúde pública.

Já os trabalhos desenvolvidos por estudantes do 3º período, retrataram um caso clínico voltado para assistência de Enfermagem Hospitalar. Os estudantes do 5° período apresentaram trabalhos voltados para a assistência de Enfermagem com foco na saúde coletiva. Os alunos do 7° período abordaram as práticas educativas e tecnologias educativas na saúde.  Já aqueles que estão no 8° período, falaram sobre temas voltados para a gestão em saúde. 

Brenda Cardoso está no 7º período do curso e é membro do Centro Acadêmico e da Executiva Nacional de Estudante de Enfermagem. Ela acredita que a discussão da atenção básica é essencial. “O profissional precisa ter um olhar atento para trabalhar a necessidade de cada de usuário do sistema de saúde.  Precisamos entender que o atendimento não pode ser feito de uma forma robotizada e sim que cada paciente tem suas necessidades”, observou a estudante.


Texto e foto: Brenda Menezes com supervisão de Lali Mareco
16 de maio de 2019