Notícias

Dia Mundial do Idoso é comemorado com muita energia na UMS Júlia Seffer



O Grupo Vida é responsável por uma série de atividades com idosos do bairro.

O Bosque Uirapuru foi tomado por uma onda de alegria na manhã da última sexta (27), com a Gincana do Super Idoso, atividade alusiva ao Dia Mundial do Idoso comemorado no dia 01 de outubro. A gincana é uma das propostas desenvolvidas com a comunidade residente em Júlia Seffer por meio do Grupo Vida, criado pelos cursos de Fisioterapia e Nutrição na atuação dentro da Unidade Municipal de Saúde (UMS) do bairro. 

Envelhecer de forma saudável e curtir a terceira idade sem grandes dificuldades são objetivos que todos almejam. Há seis anos, visando a promoção dessa mensagem, foi criado o Grupo Vida que hoje atende cerca de 300 adultos e idosos que frequentam a UMS Júlia Seffer. Fazer parte desse grupo é simples e basta apenas apresentar uma avaliação prévia de saúde emitida na própria UMS ou por um cardiologista. 

O atestado de saúde é necessário, pois dentre as diversas ações propostas ao grupo está a realização de atividades físicas. As atividades acontecem toda segunda, quarta e sexta, com exercícios físicos e educativos, e com a Gincana do Super Idoso não foi diferente.

Os participantes foram divididos em cinco times que competiram em cinco provas. Na primeira, os participantes tinham que adivinhar uma série de alimentos somente pelo cheiro, estimulando a análise sensorial. Na segunda e terceira prova, para testar a coordenação e equilíbrio, eles competiram em uma corrida em que era necessário equilibrar um limão em uma colher e depois acertar um alvo com um bambolê.

Na quarta prova, avaliando a expressão corporal, cada time selecionou um integrante para ser caracterizado e competir no Show de Talentos, onde personalidades como Dona Onete, Pinduca, Reginaldo Rossi e Gabi Amarantos animaram ainda mais a manhã. Nesta prova, uma jurada especial foi convidada para avaliar as interpretações, Maria Uchoa, atendente da UMS Júlia Seffer. Na última prova, com uma atividade que estimulava a cognição, uma pequena revisão foi feita, com perguntas para relembrar outras ações educativas que o grupo já havia feito e quem errasse... levava torta na cara!

Ao final, era visível por trás dos gracejos pelo resultado da competição, a união, felicidade e saúde, como conta Maria Ferreira, uma senhora de 84 anos que participa do Grupo Vida desde seu início. “Eu me queixava muito de dores no corpo e então fui encaminhada para fisioterapia. Foi quando eu entrei no grupo. Eu melhorei muito, hoje já não sinto as dores como antes”, comenta, com um grande sorriso no rosto. “A gente se diverte sempre que vem pro grupo”, revela Maria. 

A alegria também contagia quem está ali aprendendo, como é o caso das alunas do 8º período de Fisioterapia, Jéssica Pinheiro e Bianca Teixeira. “Eles são muito mais que um grupo de idosos, eles construíram uma família aqui. Eles ensinam muita coisa pra todo mundo que passa por aqui. Eles abraçam a gente de uma forma que é como se fosse nossa família. É um aprendizado muito além da graduação”, conta Jéssica já saudosa, pois o período de estágio em Interação Comunitária é de apenas um mês. “É uma experiência ‘extra-muro’, que a gente não só aplica o que aprende, mas aprende a como tratar o outro, a ter carinho por aquela pessoa. Não é robotizado, que tu só atendes atrás de uma mesa, em um consultório. Tem que saber lidar e ter jogo de cintura”, concorda Bianca, que complementa: “A pior parte, com certeza, é a despedida, pois a gente se apega e eles também, mas isso faz parte do estágio”.

Ao final da manhã, depois de todos ganharem brindes e tirarem muitas fotos, a saudade estava longe de ser pensada e sentida, pois só se via muitos sorrisos e abraços, além da gratidão de poder curtir a vida de forma sadia e feliz.

Texto e foto: Anaís Moraes com supervisão de Lali Mareco
30 de setembro de 2019