Notícias

Curso de Enfermagem alerta sobre câncer de mama



Em alusão ao Outubro Rosa, o curso de Enfermagem promoveu uma palestra sobre câncer de mama na manhã da última quarta-feira (23), no auditório da Unidade José Malcher. Em parceria com o grupo de apoio à paciente com câncer de mama “Laços de Amor”, a palestra promoveu explicações sobre o que é a doença e como ela se desenvolve, ressaltando a necessidade de ampliar o conhecimento da população para a sua prevenção. Um folder da Secretaria de Saúde Pública (SESPA) sobre o câncer de colo de útero foi distribuído para os participantes, acompanhado de um laço rosa, símbolo da campanha.

A professora Jorgeany Soares, palestrante do evento, ressaltou a necessidade desse tipo de palestra. “O câncer de mama é o segundo maior responsável pela morte de mulheres. Então quando temos a informação, viramos um multiplicador de conhecimento dentro da nossa casa, do nosso círculo social. Quanto mais difundir, mais pessoas serão atingidas pela informação dos métodos de prevenção, sobre os fatores de risco, inclusive sobre o câncer de mama masculino, que mesmo sendo raro, representa 1% dos diagnósticos”, alertou Jorgeany.

Depois da palestra, houve demonstração de como fazer o autoexame, ensinado pela aluna de Enfermagem, Maria Inês Vieira. “É bom evitar fazer durante período menstrual por conta das alterações naturais do corpo nesse período. Qualquer que seja a alteração, é necessário procurar um médico para o diagnóstico mais preciso”, complementou a estudante.

Laços de união - A campanha de conscientização do câncer de mama ganhou força nos anos 90 com a Corrida Pela Cura (Race For the Cure, no inglês) no EUA, organizada pela maior ONG existente de combate à doença, a The Susan G. Komen Breast Cancer Foundation, fundada por Nancy Brinker após sua irmã Susan morrer de câncer, em 1980, quando ainda se sabia pouco sobre a doença. A corrida foi o maior evento de arrecadação de fundos do mundo para educação e pesquisa sobre câncer de mama. Nesse evento, todos usaram um laço rosa preso à roupa, tornando-se assim, símbolo da campanha que perdura até os dias de hoje. Após a popularização da luta contra o câncer de mama, outras cores passaram a ser usadas para representar a luta contra os demais tipos de tumores.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), em 2018 no Brasil foram diagnosticados mais de 59 mil pacientes, com maior incidência nas regiões sul e sudeste. No Pará, o tumor de mama é o terceiro mais prevalente, perdendo apenas para o câncer de pele e colo do útero.

Texto e foto: Anaís Moraes com supervisão de Lali Mareco