Notícias

XXII Jornada Odontológica discute a valorização multiprofissional



Cerimônia de abertura da JOC contou com a participação da Orquestra Municipal Professor Daniel Nascimento, de Paragominas.

Mais de 500 pessoas participam nesta sexta (01) e sábado (02) da XXII Jornada Odontológica do Cesupa. Neste ano a JOC, como é conhecida, aborda o tema “Odontologia Integrativa: a valorização multiprofissional”, buscando ampliar a associação entre as diferentes áreas de atuação dos cirurgiões-dentistas e também de outros profissionais que estejam além da área da Saúde.  O evento oferece uma programação com mais de 10 atividades, no Belém Hall. 

Segundo a presidente da XXII JOC, Larissa Sá a inspiração para trazer a abordagem multiprofissional ao evento surgiu durante a participação de diferentes projetos no Núcleo de Inovação e Empreendedorismo Júnior (Niej), do Cesupa. “No Niej somos estimulados a buscar essa diversidade na atuação em um projeto. Propus essa temática para a jornada, buscando mostrar que dessa forma a gente consegue ir além. A intenção é que cada profissional conheça a importância de sua área e assim possa colaborar com o outro”, explicou a estudante.

Odontologia forense, harmonização facial, estética e marketing, uso da tecnologia digital, reconstrução facial e cuidados paliativos são alguns dos temas apresentados na JOC. Para conduzir as palestras foram convidados profissionais de diferentes cidades do país, como Florianópolis, Porto Alegre, Aracaju, São Paulo, São Luís e outras.  Além disso, a programação também contou com o II Meeting organizado pelo Mestrado Profissional de Clínica Odontológica do Cesupa, abordando temas como “Preservação Alveolar Pós Exodontia”, “Precisão e Otimização da Endodontia” e “Reconstrução anatômica e estética em dente anterior”. 

O coordenador do curso de Odontologia do Cesupa, Oscar Faciola Pessoa lembra que propostas de eventos como a OC refletem diretamente nos pacientes. “A saúde não pode ser tratada de forma isolada. O ser humano deve ser visto de uma forma muito mais holística e os alunos que formamos precisam ter essa visão“, analisa o professor. 

Realizado de forma ininterrupta desde a sua primeira edição, a JOC já se tornou um evento aguardado pelos participantes, como é o caso da estudante da Universidade Federal do Pará (UFPA), Sara Menezes. Este é o segundo ano que ela participa da jornada e agora, além de ouvinte ela também é uma das apresentadoras de trabalho na programação científica do evento. Ao todo, 114 trabalhos foram aprovados para apresentação durante a JOC. 

Texto e foto: Lali Mareco
01 de novembro de 2019