Notícias

Projeto de Extensão do Cesupa leva matemática básica de forma lúdica para escolas de Belém 



O projeto está sendo realizado pela turma do 2° semestre do curso de Engenharia de Computação do Cesupa.

Incentivando o aprendizado e a ciência, o Cesupa realizou na manhã desta quarta-feira (09), na sede da ARGO, o Projeto de Extensão de formação matemática para o ensino básico. O trabalho visa inicialmente produzir banners lúdicos contendo conhecimentos em matemática a partir do 2° ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio, que serão doados a 10 escolas da periferia da capital paraense em janeiro de 2021. 

O projeto está sendo realizado pela turma do 2° semestre do curso de Engenharia de Computação (EC2MA), liderado pelo professor e coordenador do curso,  Itamar Jorge Vilhena Brito. As equipes formadas para o Projeto de Extensão foram responsáveis pela verificação das instituições, selecionando-as a fim de auxiliar no processo de ensino-aprendizagem e fomentar o contato com as matérias de exatas desde o ensino básico.

Outro objetivo que o projeto almeja alcançar é fechar parceria com as instituições selecionadas, oferecendo uma monitoria de matemática explanada pelos próprios alunos do Cesupa, com o propósito de despertar o interesse pelas exatas durante a formação. Desta forma, a contribuição da monitoria, como um reforço escolar, resultará em um aprendizado ainda mais eficaz, com uso das áreas de robótica, eletrônica e outras maneiras práticas de utilizar a matemática no cotidiano, que é a base das engenharias. 

O coordenador do curso de graduação de Engenharia de Computação e também do Projeto de Extensão do Cesupa, Itamar Jorge Vilhena Brito, ressaltou a importância da implementação do trabalho nas escolas da periferia de Belém. “Instigar o interesse pela ciência por parte dos alunos, partindo da educação básica em matemática, é importantíssimo para a comunidade. Em um futuro próximo, há a possibilidade desses mesmos alunos ingressarem nas engenharias e exatas, pois quando eles saem do cotidiano e ingressam em outro ambiente, onde existem distintas formas práticas da matemática e da ciência, bem como laboratórios do Cesupa para demonstrar as experiências, é uma forma de compartilhamento de aprendizado. Acredito que estaremos cumprindo o nosso papel social da educação superior, que é retornar à comunidade e oferecer um pouco daquilo que nós, como engenheiros, podemos fazer”, destacou o coordenador.

Para o estudante do 2° semestre de Engenharia de Computação do Cesupa, Lucas Leal, a matemática é apenas o início de uma jornada, na qual ainda é possível explorar a física e as demais áreas das exatas. “Creio que o que nos instigou a produzir os materiais foi saber que o nosso conhecimento deve ser compartilhado e, principalmente, ajudar a transformar a vida de alguém por meio da educação. O projeto é uma missão de nós, da Engenharia de Computação, com a sociedade”, contou o estudante. 

Ainda para Lucas, o objetivo principal é tornar a matemática e as exatas cativantes para os alunos. “A relação que queremos proporcionar aos futuros engenheiros é justamente a sensibilidade de entender que a Engenharia está ligada a uma inquietude com a realidade que vivemos, de ser proativo e resolver problemas. De maneira prática, tentamos auxiliar a sociedade com nosso conhecimento e expertise. Fundamentar nesses alunos o conhecimento e a busca recorrente em criar soluções e novas ideias para mudar nossa realidade é o foco da Engenharia. Usando sempre o conhecimento aliado com a prática”, ressaltou o estudante. 

Texto: Ádria Pereira com supervisão de Lene Macedo e revisão de Luciana Vasconcelos | Foto: Arquivo pessoal
11 de dezembro de 2020