Notícias

Projeto de extensão do Cesupa propõe reforma de espaços do preventório Santa Terezinha


14 de julho de 2021


Os alunos dos cursos de Engenharia Civil e Arquitetura e Urbanismo do Cesupa concluíram o semestre letivo, apresentando um projeto arquitetônico de reforma de nove espaços do Preventório Santa Terezinha, além do mapeamento das patologias e o orçamento do projeto. Entre as áreas contempladas do piso térreo, onde funciona a escola, estão as praças, cozinha, refeitório e banheiros da instituição. A ideia é que no próximo período, os estudantes realizem o treinamento dos pais das crianças assistidas pelo Preventório para a execução das obras, que irão privilegiar o uso de materiais sustentáveis e de baixo custo.

Foram quatro meses de trabalho intenso, orientado pela professora e coordenadora do curso de Engenharia Civil, Andréia Conduru, desde as primeiras visitas ao espaço, para o levantamento da área, até a entrega do projeto. O processo também incluiu entrevistas com os funcionários do Preventório, para entender o uso e a funcionalidade necessária para cada dependência. O acadêmico do 6º período de Arquitetura e Urbanismo, Vítor Bassalo, integrou a equipe responsável pela reforma do banheiro feminino e percebeu na atividade, a oportunidade de trabalhar com clientes. “A partir das visitas, das respostas dos colaboradores do Preventório e do mapeamento das patologias, tivemos reuniões com a professora Andréia e fizemos muitas pesquisas para definir os materiais que seriam usados na reforma”, explicou.

Um dos desafios para os alunos era buscar materiais com baixo custo e de fácil aplicabilidade, em conformidade com as limitações econômicas e na busca por uma obra mais limpa e rápida. “Por este motivo, nosso grupo utilizou materiais simples, como tinta de cor azul na parte superior das paredes, rejunte colorido da cor azul nas paredes com azulejos brancos, divisórias de gesso acartonado da mesma cor das paredes e planejamos revitalizar o piso, ao invés de substituí-lo", defendeu Vítor. Já a equipe da acadêmica de Engenharia Civil Amanda Bentes, optou por incluir métodos sustentáveis, como o reaproveitamento da água da chuva e energia solar. “Mesmo precisando de investimento inicial alto, é relevante para este projeto e, futuramente, trará muitos benefícios para o preventório”, reforçou a aluna.

A ideia dos projetos de extensão desenvolvidos pelos cursos do Cesupa é promover o aprofundamento entre a teoria e a prática para os alunos, mais voltado para as necessidades do mercado, conforme explica a coordenadora do curso de Engenharia Civil. “Participar de atividades de extensão é uma chance incrível para o estudante praticar os conhecimentos adquiridos durante a graduação. Outro benefício é o retorno social que você garante à população e, nesse sentido, os estudantes contam com um grande ‘pagamento’, que é a gratidão das pessoas que eles atendem. Se pudermos pontuar ainda, a construção de network profissional e troca experiências profissionais com o docente que conduz o módulo são outros benefícios da extensão”, enfatizou Andréia.

Concluída esta etapa de estudos e apresentação dos projetos, no próximo semestre letivo, os mesmos estudantes acompanharão a execução da obra no Preventório. Para isso, os dois cursos realizarão oficinas de pintura e revitalização de revestimentos de parede e piso, junto aos pais dos alunos da escola. “As oficinas de pintura e revitalização de piso serão benéficas para a escola e, também, serão uma capacitação aos pais que poderão atuar no mercado oferecendo esses serviços. A ideia é continuarmos no Preventório por um bom tempo, não só visando a melhoria das instalações da escola como também realizando projeto arquitetônico e suporte técnico às famílias atendidas”, adiantou a coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo, professora Ana Cristina Braga.

A oportunidade de atuar na execução da obra idealizada por eles, causa expectativa positiva nos acadêmicos. “Particularmente, estou bastante empolgada, porque vamos ver tudo saindo do papel, ter contato com a equipe de trabalho e na qualificação da mão de obra”, respondeu empolgada a estudante de Engenharia Civil. “Trabalhar com clientes reais e fazer um projeto que será executado nos trouxe uma ideia de como será pós faculdade, quando estivermos no mercado”, completou o aluno de Arquitetura e Urbanismo. Além dos projetos e da execução da obra, o projeto de extensão também está realizando a atualização da documentação técnica da edificação que data dos anos 50 e estava desatualizada.

Texto: Gisele Nogami
14 de julho de 2021